BRIGA-DE-GRILO

 Muitas das tradições esportivas que hoje são mundialmente praticadas tiveram suas origens na história milenar da China. Algumas modalidades muito peculiares, porém, ficaram restritas àquela porção oriental da Terra, como, por exemplo, as famosas Brigas-de-Grilo, um esporte muito popular na terra de Mao Zedong.
           Parece difícil de acreditar, mas na China existem verdadeiras ligas profissionais deste esporte, com ranking das espécies mais vitoriosas, museu “hall of fame” dos grilos mais famosos etc. Sem falar dos milhões de dólares que circulam nas bancas de apostas e das intermináveis discussões nas mesas redondas da televisão no domingo à noite.
O público formado pelos torcedores na luta dos grilos não é de se desprezar. Se apenas um por cento da população chinesa acompanhar os torneios, os adeptos desse esporte formarão um grupo maior  do que a torcida do Corinthians.
Na bizarra feira de animais e insetos da periferia de Beijing, em meio a centenas de prateleiras onde são expostos vários tipos de bichos, como escorpiões, aranhas, cobras, centopeias, sapos e lagartos, lá estão também os famosos vendedores de grilos. Para localizá-los basta seguir o som característico dos grilos-cantores, primos artistas dos lutadores.
- Eles me fazem lembrar a alegria do verão. É como o som da felicidade em um dia de Sol - diz o senhor Fang Chong Lee, em uma tarde nublada e poluída de Beijing, ao comprar 3 grilos-cantores por Y$10 (R$3,5 cada).
Ao lado dos artistas cantores, que vivem em gaiolas bonitas e comem cenouras, bananas e maçãs, estão os primos briguentos, escondidos em latas individuais e escuras, engordados à base de uma dieta restrita de grão de milho.