ARQUIVE-SE

Certa vez fui chamado na delegacia para prestar depoimento sobre um processo no qual havia uma acusação contra minha pessoa. Então fui até lá no dia e hora marcados (naquele tempo não havia esse negócio de condução coercitiva) e o escrivão investigador me chamou numa sala e começou a me fazer umas perguntas, enquanto datilografava meu interrogatório:
- E esse negócio aqui, que história é essa?
Como de praxe, respondi o clássico:
- Não sei de nada.
Ele insistiu:
- Mas não foi isso e aquilo, assim e assado?
Eu concordei com ele:
- Isso mesmo.
E o investigador prosseguiu:
- E esse negócio? Não foi desse jeito que está escrito aqui?
- Foi desse jeito - eu segui concordando.
- E tal fato não se sucedeu por causa disso e daquilo?
- Exatamente.
Terminado meu depoimento, o escrivão imprimiu a folha do interrogatório e pediu pra eu assinar, o que fiz prontamente, sem nem ler.
E o Ministério Público mandou arquivar o processo.