O FUSCA AZUL

Semana passada, numa viagem de táxi de Pouso Alegre ao Rio de Janeiro, logo no começo do trajeto, próximo a Santa Rita do Sapucaí, surgiu um fusca azul correndo bem mais que a gente, nos ultrapassou feito um foguete e sumiu disparado na frente.
Algumas dezenas de quilômetros depois, perto da cidade de Resende, quando entramos em um posto de gasolina pra abastecer, ir ao banheiro etc, encontramos novamente o mesmo fusca azul saindo do posto. E o motorista do táxi comentou comigo:
- Olha lá aquele fusca azul...
Mais tarde, já na Dutra, quando paramos pra almoçar, lá estava o fusca azul parado no estacionamento do restaurante. Era a terceira vez que a gente encontrava aquele fusca, mas eu pensei que não tinha nada de mais, que era só coincidência mesmo e não dei maior importância. 
Porém, quando estávamos chegando ao Rio, outra vez o fusca azul apareceu na estrada. O motorista então resolveu anotar a placa do fusca pra jogar na loteria.
- É muita coincidência! Só pode ser uma dica pra jogar no milhar! - disse ele, cheio de esperanças.
Eu retruquei: 
- Que dica, nada! Você é trouxa de acreditar nisso.
E ele então me desafiou:
- Você vai ver no sábado, quando correr o sorteio da loteria!
No sábado, fui conferir o resultado da loteria e vi que tinha dado um número totalmente diferente da placa do fusca. LIguei na mesma hora pro motorista, rindo da cara dele:
- E aì? Fui conferir o resultado da loteria e não deu nada. Que boa dica, heim?
Bastante exaltado, ele reafirmou:
- Mas eu estava certo! Era mesmo uma dica, você não vai acreditar!
- Como assim? - perguntei intrigado. 
- É que o número sorteado foi o milhar da placa do meu carro! A dica era pro motorista do fusca azul!